Pular para o conteúdo

Shopping Iguatemi – São Paulo

Conhecendo um dos maiores Shoppings de São Paulo (senão o maior né?!)

Famoso por sua decoração Natalina, o Shopping Iguatemi em São Paulo é muito mais do que um simples shopping. É uma experiência. Digo isso porque não é comum vermos em shopping pela cidade, o requinte que o Iguatemi tem. Tem de tudo: moda feminina, moda masculina, sapatos femininos e masculinos, além de vários lojas de acessórios. Vale a pena uma visita, mesmo que seja apenas para olhar – lá as lojas cobram um valor mais alto.

São diversas lojas internacionais: Armani, Channel, Lacoste, Tiffany, Zara, Gucci e por aí vai. Mas há também as lojas nacionalmente conhecidas, como   O Boticário, C&A (que é totalmente diferente das C&As que eu já vi), Farm, Cavendish… até Lojas Americanas tem – mas esse é igual a coelho né? Se reproduz em vários shoppings…rs

Além disso, o shopping é repleto de restaurantes, café e sorveterias deliciosas. Vide post sobre o Restaurante Ráscal.

O Iguatemi fica no centro empresarial de São Paulo – rua de buxixo com prédios moderníssimos-, a Av. Faria Lima. De fácil acesso, com ponto de taxi na frente.

Restaurante Ráscal

Suco de Tangerina, Porpetone e Torta de Maçã: ótimo dica de onde comer em São Paulo!

“Intão”, lá estava eu, chegando de Niterói, em pleno domingo, esfomeada, descabelada e cheia de malas. Quando meu querido digníssimo marido me liga e me diz que ele está almoçando no Shopping Iguatemi, com minha irmã e meu cunhado. So… lá fui eu!

Realmente, esse restaurante em São Paulo é uma delícia.  Estilo buffet, com uma variedade de massas, saladas, antepastos e sobremessas. Mas atenção: se você não está afim de gastar uma grana em pleno domingo, vá em outro restaurante (Nota mental: pedir ao meu cunhado para escrever sobre o restaurante Jacaré). O valor por pessoa é R$55,00.  No entanto, vale muito à pena, pois come-se muito bem.

Se você desejar seguir a dica e ir a esse restaurante, fica minha sugestão: além das massas com seus vários molhos e saladas deliciosas, por favor, peça o suco de Tangerina, coma o Porpetone e finalize com a Torta de Maçã. Simplesmente maravilhoso.

Depois, saia de lá completamente “entulhado” de comida e vá dar uma volta no shopping para desgastar! Kkkk

O Ráscal tem unidades em dois bairros de São Paulo: no bairro Cerqueira César (perto da Av. Paulista) e no Itaim Bibi (no shopping Iguatemi e outro na rua Leopoldo)

Fica aí a dica!

Dicionário “Carioques”x “Paulistes”

Saiba os significados de algumas gírias Paulistas.

“Intão”, estava sexta-feira em um taxi para encontrar minha irmã, quando tive grata surpresa de pegar um motorista o gente fina. Lógico, a coisa sempre começa com eles perguntando se sou carioca… Diante da resposta positiva, a indivíduo tenta me imitar falando (afe credo) e começa a puxar o “s”: “messsssmo”, “bissssscoito” e por aí vai.

Como boa “carioca” que se preze, obviamente tive que dar minha zoada básica, tipo: “não é ‘intão’. É ‘então’… tem um ‘e’, se vocês não perceberam ainda”.

Ok, zoações à parte, a troca de informações foi, definitivamente, interessante. Para quem vier a São Paulo, segue umas dicas de gírias para vocês entenderem o que se fala por aqui:

1. FAROL – o famoso sinal, que quando fechado irrita os cariocas, aqui se chama farol;

A pergunta que fiz foi a seguinte: “Farol? Por que? Tem algum navio passando pelas ruas de SP??”… tá bom, piadinha infame, mas não resisti!!

2. “Lá na casa do chapéu” = a “longe pra caramba” (ou o palavrão que o carioca quiser inserir aqui);

Aliás, o que o Chapéu tem com isso?? Fica a pergunta!

3. Mixirica  =  Tangerina (e outras regiões também se fala assim);

4. Enroladinho de queijo e presunto =  Italiano (Niterói) ou Joelho (Rio);

5. “Injuriado” = é o mesmo quando eles querem dizer que estão “bolados”;

Ai, o taxista falou “boladossssss”… rs

6. O famoso “Meu” = ao famoso “Mermão”;

Eles também usam muito o “véio”… não é “velho”, é “véio” – tem que falar a pronúncia correta. (Nota: se me chamarem de “véia”, vai rolar estresse…rs)

7. “Da hora” = “Maneiro” … (???).

Intão véio, por enquanto ficamos com essas gírias.

Brincadeirinhas à parte, se pararmos para pensar, é interessante essa troca entre estados. Na verdade, não se limita apenas ao eixo Rio – São Paulo, mas também em todas as regiões do pais. Somente a palavra Tangerina, por exemplo, tem várias denominação ao longo do país: mexirica, verganota…

A busca por novas gírias continua, mas por enquanto “that’s all, folks”!

Bom aproveito, meu!

 

Se Achando em São Paulo

O Google é o meu pastor e nada me faltará: encontrando linhas de ônibus e trajetos em São Paulo!

Deus abençoe o Google!

Não, não é propaganda. Não estou trabalhando lá (por mais que gostaria) nem estou ganhando nada deles para falar disso aqui. Mas o fato é: adoro os mapas do Google. Você encontra rotas, duração dos trajetos, dicas de ruas, além de opções de ônibus, taxi e rotas à pé.

Pois então, ontem, nas minhas andanças por São Paulo, pesquisei no site a rota do Jardim Paulista até a Av. Faria Lima e veja que maravilha: além do no. do busão, o site ainda dá dicas de onde pegá-los e em qual ponto saltar! Maravilhas Tecnológicas… e no final das contas, deu tudo certo!

Fica aí a dica para quem está perdido, como eu, e querendo conhecer melhor a cidade para a qual se mudou!

Rua João Cachoeira

Da seção onde comprar, surge a Rua João Cachoeira no Itaim – SP.

Pois é, na busca pelo apartamento ideial, me deparei com a Rua João Cachoeira, local ideal para compras. Na verdade, a rua se auto-denomina Shopping ao Céu Aberto. São várias lojas: roupas, sapatos, livrarias, cafés, papelarias, casa & decoração, salões, além das deliciosas chocolaterias.

E melhor ainda: nessa época do ano, tudo em liquidação! (Nota mental: não passar por lá).

A rua é de fácil acesso, pois fica perto da Faria Lima e é cortada pela Juscelino Kubitschek. Então, deve ser fácil achar um ônibus ou taxi para dar uma passadinha lá.

Olhe o mapa abaixo e Boas compras!

São Paulo não era São Paulo

Você sabia que a cidade de São Paulo foi batizada primeiramente de “Vila de Santo André da Borda do Campo”?

É, nada a ver, eu sei. Mas inicialmente a cidade foi batizada com esse nome, em 1553. Um grupo de padres da Companhia de Jesus subiram a serra do mar e acharam uma terra com os “ares frio da Espanha”, fresca, sadia e abundante em águas.

Séculos depois, a cidade é o maior centro econômico, cultural e gastronômico do país, sinônimo de prosperidade.


Avenida Paulista em 1902.

Vista atual da Avenida Paulista.

Pizzaria Camelo

Da seção onde comer em São Paulo, surge a famosa Pizzaria Camelo.

Sim! O nome é esse mesmo: Camelo.

Porque, eu não sei. A única coisa que sei e pude comprovar é que essa Pizzaria é uma das melhores de São Paulo (conforme me disseram) e é realmente deliciosa. Massa fina, queijo em abundância e vários sabores, desde os clássicos até especialidades da casa. Claro, você pode acompanhar essa pedida com um bom vinho, mas não foi meu caso.

Como achei a pizzaria…

Acontece que estávamos nós perdidos nos Jardins Paulistas e mortos de fome, quando perguntamos no flat que estamos qual seria a pizzaria mais perto. Foi uma grata surpresa conhecer essa Pizzaria.

Ambiente super agradável, garçons solícitos  e ótimo atendimento. No entanto, não se engane: como todo bom restaurante em São Paulo, é um pouco salgadinho. Uma pizza de 6 fatias (ideal para 2!), custa em média de R$ 45,00 à R$ 54,00, dependendo, claro, do sabor.

E, segundo me disseram também (não sei ainda se é lenda!), cuidado com a Pizza Calabresa: em algumas pizzarias mais clássicas da cidade, esse sabor vem sem queijo, somente a massa, molho e a calabresa.

Intão, meu… Vale uma visita. Segue o endereço da unidade que fui: Rua Pamplona, 1873. Existem unidades tb no Itaim, Morumbi e Higienópolis.

Site: http://www.pizzariacamelo.com.br

Já é!